Em quais dessas personalidades de UX você se encaixa?

Trabalhar com um novo UX Designer é sempre uma caixinha de surpresas em termos de personalidade: extrovertidos, introvertidos, céticos, criativos, desapegados, cautelosos — e uma porção de tons de cinza entre uma e outra. Qual das “personalidades” abaixo mais encaixa com a sua?

Image for post
Image for post
http://seanrobinson.com.au/

O UX Designer comunicador

O tipo de profissional articulado e que tem facilidade em se comunicar. Não apenas consegue transmitir suas ideias com clareza, como também ganha a empatia de colegas de trabalho, clientes e stakeholders do projeto — conquistando aliados por onde passa. Geralmente é ele quem toma a liderança em reuniões, seja facilitando sessões de brainstorm ou seja apresentando o trabalho.

  • Pontos fortes: não existe ruído ou “aquilo que não foi dito”. Por ter essa habilidade natural de se comunicar, esse profissional tende a comunicar em excesso — o que certamente traz ótimos resultados para o projeto. Normalmente o UX Designer comunicador também traz uma energia positiva acima da média para o time, deixando-os motivados e engajados no trabalho que está sendo feito.
  • Pontos fracos: às vezes esse tipo de profissional pode ter dificuldade de aterrisar as ideias e fazer com que o projeto mova em frente em direção a algo mais concreto. As conversas ficam sempre no plano das ideias, mas ninguém dá o primeiro passo para fazer aquilo que está sendo discutido realmente sair do papel.

O UX Designer resolvedor de problemas

Você já deve ter conhecido alguém assim, que só entra no projeto quando tem um “pepino” para ser resolvido. O UX Designer resolvedor de problemas gosta de desafios inéditos, e por isso mesmo é envolvido no projeto na hora mais crítica. Por trazer uma perspectiva nova para os projetos, acaba sempre ajudando o time a considerar diferentes soluções para um mesmo problema — e geralmente não tem preguiça de desenhar três versões da mesma interface para garantir que todos os caminhos estejam sendo explorados.

  • Pontos fortes: Rapidez e sangue frio. Para esse profissional nenhum desafio parece ser assustador o suficiente — o que ajuda a trazer ao time uma dose extra de confiança e motivação. Por ser envolvido nos projetos somente quando surgem os problemas (normalmente nas etapas finais quando o prazo está se esgotando), esse profissional tende a ser mais rápido no gatilho do que a média.
  • Pontos fracos: por ser um bom resolvedor de problemas e apagador de incêndios, pode se sentir desmotivado com as tarefas cotidianas e deixar a desejar em entregáveis mais simples. O UX Designer resolvedor de problemas precisa ser alimentado com… hmmm… problemas.

O UX Designer cético

Todo ambiente de trabalho tem um desses profissionais que só acreditam vendo. O UX Designer cético é muito prático, racional e não se deixa encantar por ideias criativas quando elas não estão embasadas em algo sólido e em um pensamento estratégico. Não está no ambiente de trabalho para fazer amigos (o que não quer dizer que ele não possa ser simpático e agradável a maior parte do tempo), e sabe separar muito bem o pessoal do profissional na hora de ser sincero com colegas de trabalho.

  • Pontos fortes: ótima peça para dar um choque de realidade no time. Por isso mesmo, o UX Designer cético é envolvido nos projetos onde existem muitas ideias flutuando pra lá e pra cá, mas em que o time está com dificuldades de priorizar as ideias que realmente valem a pena. Tem poucos filtros na língua e vai sempre questionar a legitimidade e a aplicabilidade de uma ideia, doa a quem doer.
  • Pontos fracos: alguns membros do time podem ter dificuldade de lidar com o UX Designer cético, ou de entender que a crítica diz respeito à ideia em si, e não à pessoa que teve a ideia. É preciso também tomar cuidado para que o ceticismo desse profissional não censure as ideias e o nível de qualidade criativa logo nos momentos iniciais do projeto.

O UX Designer quieto e eficiente

Você não ouve falar muito dele. Normalmente ele está calado, concentrado em resolver um problema de design ou em terminar um entregável do projeto. Esse tipo de UX Designer não é de muitas palavras e prospera justamente nos momentos de silêncio — onde o que o projeto precisa não é de brainstorms ou workshops, mas sim de gente que consiga sentar na cadeira e documentar o que precisa ser documentado.

  • Pontos fortes: ajuda a equilibrar o “falar” e o “fazer” do time, e normalmente fica imbatível quando dupla com um UX Designer comunicador no mesmo projeto. Costuma ser mais eficiente dentro da área de Design de Interação e em atividades relacionadas (sitemaps, wireframes, prototipagem, etc.).
  • Pontos fracos: por ser mais calado que a média, esse tipo de profissional pode acabar passando despercebido dentro do time e deixar de ser reconhecido pelo ótimo trabalho que fez (em muitos casos um UX comunicador pode acabar ganhando os créditos pela ideia, simplesmente porque foi ele quem a apresentou).

O UX Designer cheio de referências

Esse é o mágico das referências; a cada dois minutos de brainstorm ele traz uma nova referência para o time. Conhece todos os padrões de interação dos produtos digitais mais famosos e não hesita em jogá-las para o time: “o Twitter usa uma solução parecida no seu app de Android”. Além de conhecer os detalhes dos produtos famosos, também tem um ótimo faro para descobrir os produtos, designs e inovações de interface que ainda pouca gente conhece.

  • Pontos fortes: excelente em balançar o time e forçá-lo a pensar fora da caixa. Sempre tem algo para adicionar e costuma ter facilidade em visualizar as inúmeras possibilidades de determinada solução. Por ser cheio de referências e compartilhá-las com o time, acaba encorajando que outras pessoas também sejam mais curiosas e atentas às tendências que estão surgindo no mundo do design digital.
  • Pontos fracos: às vezes pode ter dificuldade de tomar uma decisão. Por conhecer muitos jeitos diferentes de resolver um problema, pode ficar paralizado com o paradoxo da escolha e não conseguir escolher apenas um caminho para aquele determinado layout.

Written by

Designer at Work & Co, Founder of UX Collective — http://twitter.com/fabriciot

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store